Текст песни Poema de Benjamim Constant / Que se danem os nós, Ana Carolina

Que se danem os nós
Ana Carolina
Vim gastando meus sapatos
Me livrando de alguns pesos
Perdoando meus enganos
Desfazendo minhas malas
Talvez assim, chegar mais perto
Vim, achei que eu me acompanhava
E ficava confiante
Outra hora era o nada
A vida presa num barbante
E eu quem dava o nó
Eu lembrava de nós dois
Mas já cansava de esperar
E tão só eu me sentia
E segui a procurar
Esse algo, alguma coisa
Alguém, que fosse me acompanhar
Se há alguém no ar
Responda se eu chamar
Alguém gritou meu nome
Ou eu quis escutar
Vem, eu sei que tá tão perto
E por que não me responde
Se também tuas esperas
Te levaram pra bem longe
É longe esse lugar
Vem, nunca é tarde ou distante
Pra te contar os meus segredos
A vida solta num instante
Tenho coragem tenho medo sim
Que se danem os nós
Se há alguém no ar
Responda se eu chamar
Alguém gritou meu nome
Ou eu quis escutar
Vem, eu sei que tá tão perto
E por que não me responde
Se também tuas esperas
Te levaram pra bem longe
É longe esse lugar
Vem, nunca é tarde ou distante
Pra te contar os meus segredos
A vida solta num instante
Tenho coragem tenho medo sim
Que se danem os nós
Se há alguém no ar
Responda se eu chamar
Alguém gritou meu nome
Ou eu quis escutar
На Az-lyrics можно найти песню по словам и тексту. Прочитайте, сохраните или распечатайте полный текст песни "Poema de Benjamim Constant / Que se danem os nós (Ana Carolina)" с припевом и куплетами. Хотите добавить свою песню? Заполните форму